Posts Tagged ‘negócios’

Artigo – Benefícios da Automação para sua empresa.

A automação industrial é muito mais que um simples investimento para modernização de uma fábrica ou determinado processo, ela é a certeza de que seu processo seguirá um procedimento padrão de fabricação, sendo assim uma aliada aos operadores do processo, pois ela permite uma rápida identificação das falhas e um diagnóstico detalhado das ocorrências que geraram estas falhas, também ajuda na identificação de riscos futuros que possam significar um potencial atraso ou perda de produção. Com o auxilio da automação alarmes indicativos luminosos ou sonoros ajudam a identificar um desvio do processo possibilitando ao operador tempo hábil para corrigi-lo e assim evitar prejuízos para a empresa.

Podemos destacar entre as principais vantagens do uso da automação industrial:

- Identificação das falhas de processo e agilidade nas ações a serem tomadas através de informações recebidas por sensores, transmissores e etc;

- Controle centralizado ou distribuído em pontos estratégicos do processo;

- Controle automático das malhas de temperaturas, pressões, níveis e etc;

- Proteção de motores pela leitura de suas correntes, diminuindo a carga quando esta chegar próximo aos limites estabelecidos no sistema;

- Rastreabilidade total da operação, ocorrências e falhas do processo;

- Relatórios de produção por turno, dia ou período selecionado;

- Interligação dos dados do sistema de automação com a rede corporativa, disponibilizando assim as informações para qualquer sistema de gerenciamento;

- Diminuição de perdas ou refugos;

- Segurança, pois substitui o homem em atividades de risco;

- Qualidade do produto final;

As redes industriais também têm papel de fundamental importância nos sistemas de automação, pois além de simplificarem a instalação reduzem significativamente a quantidade de cabos, também trafegam diversas informações de todos os equipamentos que estão presentes na rede pelo mesmo meio físico.

Os sistemas de automação implantados pela Automatec Automação Industrial estão presentes em vários estados brasileiros dentre os quais podemos citar: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Minas Gerais e Piauí.

Abrangendo aplicações e suporte a sistemas nos mais diversos setores como: plásticos, petroquímico, agroalimentos, cerâmicos, papel, sistemas de dosagens e etc.

A Automatec também possui qualificação técnica para programação das mais conhecidas tecnologias presentes no mercado: Linha Schneider Eletric, Linha Novus, Linha Siemens, Linha Rockwell, Linha Altus, Elipse E3, Elipse SCADA, Wizcon, GE Fanuc iFIX entre outros.

Entre em contato com a Automatec e agende uma visita técnica de nossa equipe.

E-mail: automatec@automatec-sc.com.br
Fone: (48) 3437-8272 / (48) 3447-0299
PDF Download    Enviar artigo em PDF para

Notícia – 10 erros de postura comuns que podem afundar sua carreira

Em continuidade ao post Valor dos profissionais e as empresas, achamos este no site Desmonta & CIA.

CarreiraComo você avalia sua postura na empresa onde trabalha? Ou melhor, como imagina que seus colegas o avaliam? Pequenas e simples atitudes, que não exigem nenhum conhecimento científico ou que alguém tenha habilidades notáveis em alguma especialidade, mas que se não forem levadas a sério, vistas com carinho, pode trazer sérias consequências para sua imagem profissional e por conseguinte colocar seu futuro em xeque na empresa.

Justamente a simplicidade destas dicas, divulgadas pelo site EmpregoCerto, de autoria de Silvio Celestino,  é que nos fazem por vezes subestimar suas consequências ao ignorá-las, armando-se assim uma arapuca ardilosa. Às vezes não é preciso mais do que um escorregão para fechar portas de oportunidades na carreira.

Foram enumerados 10 principais erros comportamentais e de postura,  segundo Silvio, cometidos por profissionais nas empresas. Avalie cada um e veja onde pode melhorar:

1- Não saber dominar as emoções: Um profissional que não sabe receber uma crítica, um feedback e se frustra com muita frequência, demonstra-se imaturo e, portanto, incapaz de assumir grandes responsabilidades, inclusive um cargo de liderança. Se alguém deseja subir na carreira, deve saber dominar suas emoções e lidar com as dos demais.

2- Falar mal da empresa, de chefes ou colegas no ambiente de trabalho / redes sociais: O profissional vende a todo instante a sua credibilidade perante a empresa e o mercado de trabalho. Ninguém deseja ter em seu quadro de funcionários alguém que denigre a imagem da própria empresa direta ou indiretamente (comentando e fazendo fofocas de outras pessoas).

3- Não cumprir prazos das tarefas: O que se espera de um bom profissional é que ele tenha conhecimento suficiente para saber quanto tempo uma tarefa de sua responsabilidade demora para ser realizada apropriadamente. Quando o profissional atrasa, compromete sua credibilidade.

4- Chegar atrasado em reuniões e eventos: Cumprir horários estabelecidos para uma reunião ou evento é o mínimo que se espera de um profissional sério. Mesmo que seus líderes cultivem o mau exemplo de chegar tarde em reuniões, não faça o mesmo. Seja pontual.

5- Ter uma imagem que destoa da cultura da empresa: A imagem de um profissional deve transmitir credibilidade de acordo com a cultura da empresa. Não apareça de piercing ou deixe sua nova tatuagem à mostra se você trabalha a uma organização muito tradicional. Terno e gravata também não são indicados para trabalhar em uma empresa que vende produtos para a prática de esportes radicais. Pense!

6- Escrever errado em documentos da empresa, especialmente os que são dirigidos a clientes (e-mails, por exemplo): Já vi um gerente ser demitido porque escreveu “voceiz” em um e-mail ao consumidor. Muita atenção, o que é aceitável no SMS é inapropriado para o contato com o mercado e pode gerar má interpretação, confusão e transmitir uma imagem desleixada do profissional e, consequentemente, da empresa.

7- Ser um mau ouvinte: Quando um cliente interno ou externo ao departamento se dirige ao profissional e este parece estar mais interessado em outras coisas, como seu celular, ou simplesmente não parece estar interessado na conversa, gera a impressão de imaturidade e desrespeito.

8- Tratar com descuido as ferramentas e materiais sob sua responsabilidade: Danificar computadores, mobília ou outras estruturas da empresa por descuido demonstra que o profissional não entende que a empresa possui um custo esperado para suas operações e que aumentá-lo diminui o resultado.

9- Desrespeitar a cultura da empresa: Cada organização possui uma cultura, expressa objetivamente em suas normas, mas também indiretamente no comportamento de seus funcionários, em especial seus líderes. O profissional deve ter adaptabilidade ao ambiente antes de querer mudar algo. Chegar na organização e já questionar sua forma de ser é ruim para a sua imagem.

10- Não demonstrar interesse em progredir: As organizações têm como um de seus propósitos o crescimento contínuo. Um indivíduo que está satisfeito com o cargo que ocupa e não faz nada para aprimorar-se, adquirir novos conhecimentos e competências, fica em desacordo com este propósito, o que não é bom para sua imagem.

Infelizmente podemos não dar certo em algum emprego, apesar do amplo conhecimento técnico, simplesmente por problemas como os apresentados aqui. E o pior é que raramente aparece um colega para dar um conselho, nos alertar sobre o comportamento inapropriado. Passamos longe do alvo sem ao menos perceber o que está acontecendo. Construir uma imagem pode levar até anos, mas para destruí-la não se precisa mais que um minuto.

O que pode ter diferenciado você de forma a ser preterido a uma vaga, promoção, um trabalho especial, pode não ter nada a ver com liguagens de programação, certificações, formações de 1º ou 2º linha, idiomas…podem ter sido coisas bem mais simples como as lições acima.

Reflita sobre o que você pode mudar nesse sentido, o que poderia ter feito nas oportunidades passadas. Aprender com o passado é bom, mas apenas tome cuidado para não remoê-lo, pois não volta mais. Prepare-se para escrever um novo capítulo na sua estória profissional. Capítulos marcantes positivamente se fazem com muitas linhas simples também, certo?

Fonte: EmpregoCerto

PDF    Enviar artigo em PDF para

Noticia – Valor dos profissionais e as empresas

Valor dos profissionais e as empresas Quem nunca ouviu uma proposta de trabalho ou recebe / já recebeu um valor  abaixo do ideal que seria compatível com as suas atividades no mercado?

Hoje encontramos muitos profissionais ruins sendo bem pagos e também  encontramos muitos profissionais bons sendo mal pagos, isso não deveria ser  o inverso? O correto não seria o bom profissional ser bem pago e o mau  profissional ser mal pago? Claro que também encontra-se, o que seria correto  no meu ponto de vista: profissionais bons sendo bem pagos e profissionais  ruins sendo mal pagos, apesar de terem sido poucos casos…

Hoje em dia é muito fácil encontrar uma nova oportunidade de trabalho,  existem inúmeras vagas disponíveis, gosto de dizer que desemprego em  tecnologia não existe, você pode ser mal pago, mas desempregado você não  fica, só se aceitar o desemprego ou se você é um mau profissional.

Se você é um bom profissional e é mal pago, não fique reclamando que a empresa não lhe valoriza como deveria e não destrua o seu nome entregando um trabalho de baixa qualidade, erga a cabeça e faça um ótimo trabalho, mostre as suas competências, o seu valor e fale com o seu gestor: pode ser que ele não lhe valoriza por não conhecer o seu trabalho.

Se após a conversa com o seu gestor nada melhorar, procure outra empresa com melhores salários e perspectivas de crescimento. Ao encontrar, atenção: nunca faça leilão! Seja profissional, se na nova empresa você tem melhor salário e melhores perspectivas de crescimento, vá para ela. Se a empresa atual lhe fazer uma contra proposta, escute, seja educado, seja político. Eu não aceito contra proposta por um simples motivo: se precisei encontrar outra empresa para um melhor salário e perspectivas de crescimento, é porque a empresa onde estou não atende as minhas expectativas financeiras e profissionais, se é assim, porque continuar nela? Para enfrentar o problema novamente no futuro?

Sempre saí das empresas onde trabalhei com portas abertas, pois não conheço o futuro, posso precisar de boas referências. Nunca saí pensando em retornar para nenhuma empresa onde trabalhei, só em melhorar, progredir, seguir em frente. Não descarto a possibilidade de que posso aceitar um convite de retorno (já recebi alguns), o que analisarei é se o desafio para aumentar e melhorar a minha experiência vale a pena e se a gestão foi alterada: se for a mesma, não vale a pena voltar, pois já conheço os problemas que enfrentarei.

Existem bons profissionais sendo mal pagos, mas se são bons, porque aceitam esta situação? Existem muitas possibilidades, acredito que as razões mais comuns são a acomodação e o medo. Acomodação por acharem que por conhecerem o ambiente por tanto tempo, poderão ficar ali até aposentar e medo por acharem que se saírem, ficarão desempregados ou somente encontrarão oportunidades para ganhar menos do que onde estão.

Para estes bons profissionais recomendamos que procurem novas oportunidades, olhem para o mercado, existe um grande mercado carente lá fora, carente de bons profissionais. É a famosa lei do “quem procura, acha”.

Muitas empresas ainda tentam explorar com salários baixos os profissionais que possuem uma boa experiência de mercado, mas isso está mudando. Elas já notaram que com esta postura, ocasiona uma rotatividade alta, prejudicando o próprio ambiente e perdendo bons profissionais para o mercado, geralmente para a concorrência, fazendo com que ela perca espaço.

Quantos de vocês não viram oportunidades publicadas em sites de emprego ou em jornais onde na descrição do cargo a empresa quase que especifica as características do Superman? Isso não existe em tecnologia da informação, não é possível que um excelente analista de sistemas, que programa muito bem em Java, também seja um especialista em segurança, sistema operacional, banco de dados, redes, infraestrutura, etc.

Hoje em dia o mercado está saturado com muitos profissionais e muitas empresas ainda argumentam que com o salário de um profissional experiente, pagam dois ou mais iniciantes. Será mais barato mesmo? O iniciantes não precisarão de tempo para adquirir experiência? Os iniciantes não precisam de cursos para aperfeiçoarem o conhecimento? Os iniciantes não poderão cometer falhas graves que podem ocasionar grandes prejuízos? O barato pode sair muito caro em muitos casos.

Fato: as empresas precisam dos profissionais, mas querem pagar menos por isso, isso vale não só para quem trabalha com T.I., mas para qualquer profissão. Lembre-se sempre: empresa visa lucro, dinheiro. Não sonhe com um mundo colorido onde as empresas lhe pagarão ótimos salários, por pouco trabalho, isso não existe.

Este artigo foi direcionado para o bom profissional, o profissional que quer crescer na profissão e ser bem visto por todos, se algum mau profissional leu e quer sair do lado negro da força, seja bem vindo, há mercado para todos.

Fonte: Fábio Borges

PDF Printer    Enviar artigo em PDF para