Posts Tagged ‘HD’

Dica – Como recuperar dados apagados no HD

O disco rígido ou (no inglês HD Hard Disk) é um meio de armazenamento físico mais utilizado atualmente pelos usuários, os discos rígidos possuem importância vital para os microcomputadores e principalmente para o usuário, que neles guardará todos os programas e dados gerados.

Muitas informações confidencias que são de muita importância podem estar armazenadas nos discos rígidos e eles estão sujeitos a perder os dados por inúmeras causas, como catástrofes da natureza, vírus, descuido do usuário entre outros. É aqui que entra a ajuda dos programas de recuperação de arquivos que fazem a varredura em todo o disco para verifica se é possível a recuperação dos dados, nesse artigo mostrarei a utilização do software
Mareew Hard Drive Recovery
Baixar e instalar um aplicativo de recuperação de dados requer uma abordagem diferente de qualquer outro tipo de software. É importante que você siga as instruções de instalação, a fim de evitar a corrupção após a discos danificados ou apagados os dados.

IMPORTANTE: É fundamental que nunca utilize um disco danificado ou um disco que contém arquivos de recuperação para salvar o arquivo de instalação baixado, ou para instalar Mareew Hard Drive Recovery. Salvar uma cópia transferida do Mareew Hard Drive Recovery em um disco ou partição separada, ou usar um dispositivo externo, como um drive USB, cartão de memória flash, disco de CD ou DVD, ou um local de rede e instale o programa.

Como a maioria dos softwares considerados bons não são gratuitos esse não é diferente, você pode comprar a chave para poder utilizar da melhor maneira possível o programa ou você pode utilizar o software na sua versão demo onde que algumas funcionalidades estarão limitadas.

Abertura do programa a partir do menu Iniciar ou no desktop de seu PC irá mostrar uma janela de boas vindas do Easy Recovery Wizard.

Especifique um disco ou partição para recuperar dados. Você pode escolher um determinado volume ou discos rígidos inteiros. Nesta etapa, sem modificações são feitas para os discos. Alternativamente, você pode montar um instantâneo de um disco para recuperar com segurança seus dados. Clique Mapa Virtual Divisórias para aceder a esta funcionalidade. Monte uma imagem previamente criada usando Ajuda – Montar Imagem. Criar um novo instantâneo clicando um disco ou partição e selecionando Create Recovery Snapshot.

Após a procura dos arquivos estiver concluída, a janela a seguir irá mostrar uma lista de arquivos recuperáveis.

Perdidos e arquivos apagados são marcadas com um “X” vermelho. Clique em um arquivo para ver a sua visualização. A fim de mantê-lo seguro, não há dados escritos no disco enquanto os arquivos de visualização.

Marcar todos os arquivos que deseja recuperar com caixas de seleção na visualização do arquivo na esquerda, e clique em Avançar.

Especifique uma pasta para salvar arquivos recuperados para. Certifique-se que a pasta está localizada em um disco separado ou partição diferente da que está sendo recuperado. Clique em Avançar para prosseguir.

Após o processo de recuperação for concluído, clique no link sublinhado para abrir uma pasta que contém os arquivos recuperados. Clique em Concluir.


Fonte: www.oficinadanet.com.br

Create PDF    Enviar artigo em PDF para

Dica – Suas informações não valem nada?

Suas informações não valem nada?Muitos acham que backup e proteção de dados é a mesma coisa, mas na realidade não é bem assim. Backup é uma cópia de segurança apenas. Proteção de dados é uma política mais ampla, que engloba o backup, mas vai depender do quanto você dá valor às informações que tem e como lida com elas. Se você realmente se preocupa com elas, se realmente acha que elas valem alguma coisa, lembrará diariamente que existe a lei de Murphy e que ela também rege a existência do seu HD, iPhone, iTouch, etc.

Quebra de paradigma – uma questão social
Você já se fez a seguinte pergunta: “O que farei se meu computador pessoal queimar em uma descarga elétrica e eu perder meus dados”? Seja você um gestor ou uma dona de casa “conectada”, se a resposta for “não”, é por que está pouco se lixando para os dados.

Um paradigma forte a ser quebrado é o de que só grandes empresas devem se preocupar com a proteção de dados. Seja usuário doméstico ou empresa, todos têm informações, todos produzem idéias que sempre contribuem de diversas formas para a sociedade, e sua perda acarreta problemas para você e para outras pessoas também. Já pensou em vários pais de família tendo que dar a notícia em casa que terão que passar por algumas privações, pois o salário atrasou devido a problemas com o sistema da folha de pagamento? E o seu filho não ter que ficar vendo as fotos da família dos colegas no mural, pois não tinha nenhuma da sua própria família? No mundo em que vivemos hoje, do pessoal ao profissional, quase tudo é composto por bits armazenados em meio digital.

Estudo de casos – O que não dá certo e o que dá certo.
Para explicar melhor o que é proteção de dados, vamos utilizar exemplos:

Caso 1: Perda do banco de dados do migre.me
Suas informações não valem nada?Recentemente o site migre.me (http://migre.me) teve uma péssima experiência relativa a perda de dados. Em resumo, foi feita uma operação de manutenção no servidor que continha os sites dos clientes do provedor de serviços. Por uma falha humana, todos os dados dos clientes foram perdidos. Muitos foram recuperados, mas outros não. Dentre eles, o migre.me. Tudo bem, vamos restaurar o backup, certo? Errado. O backup estava em um disco interno do servidor, que também foi comprometido. Ou seja, tem backup, mas a mídia não era a mais segura e apropriada. Os dados não estavam efetivamente protegidos. Não vamos entrar no mérito de culpas, pois neste caso todas as partes já fizeram suas considerações na mídia.


Caso 2: Restauração do site do Commerzbank após os ataques de 11 de setembro.
Suas informações não valem nada?O escritório do Commerzbank (banco Alemão) em Nova York localizava-se a cerca de 90 metros dos andares 31 a 34 do World Trade Center. Com a queda das torres, o datacenter permaneceu fisicamente funcional, porém, com o calor intenso e a grande quantidade de poeira os sistemas começaram a falhar, junto com toda a comunicação com o exterior, deixando a operação de New York praticamente parada. Nesta ocasião, vários equipamentos incluindo os storages (onde se armazenam os dados) entraram em colapso. Porém, o Commerzbank possuía um plano de contingência que constava de cópias dos sistemas e dados em outro site a 50 km do site principal. Esta contingência foi ativada, os funcionários evacuaram o local e nos próximos meses passaram a trabalhar no site backup até que o site principal fosse reestabelecido.

No primeiro caso, um erro comum ocorreu: havia backup, mas foi gravado em mídia não segura, e o estrago foi enorme para o negócio. Os dados não estavam completamente protegidos. Este tipo de erro é mais comum do que se imagina, pois muitos gerentes de TI cometem o simpático erro de deixar as fitas de backup dentro do CPD, ou em salas fisicamente próximas. Em caso de incêndio no CPD, perde-se também o backup! Já vi casos que usuários domésticos “sobraram” por fazer backup em uma mídia barata de DVD que ao longo do tempo estragou-se. Quando precisou, já foi!

No segundo caso, os dados estavam completamente protegidos, e o negócio sobreviveu ao maior ataque terrorista da história. Há muitas empresas que faliram nesse desastre por conta de suas operações estarem concentradas unicamente nestas torres. Há inclusive o caso de uma empresa de seguros em que o seu datacenter ficava em uma torre e o site backup na outra. Faliu.

Suas informações não valem nada?O Commerzbank investiu uma quantidade razoável de dinheiro para ter este nível de disponibilidade e segurança de dados. Mas, será que a única forma de se conseguir “não falir” é gastar mundos e fundos? Talvez não. Tenha sempre em mente que proteção de dados está além dos produtos e soluções: é uma estratégia. Já pensou em fazer seu backup doméstico em duas mídias de marcas diferentes? É uma estratégia!

No próximo post falarei mais sobre soluções e estratégias de backup, para usuários domésticos e corporativos.

Fonte: André Sousa

Create PDF    Enviar artigo em PDF para

Dica – Porque o Windows 7 fica processando sem parar, acessando o HD a todo instante?

Usei o Windows XP sem problema algum durante mais de 5 anos, até que resolvi trocá-lo pelo Windows 7, o que fiz há alguns dias. O visual do Seven é legal, e como o micro é potente a performance é praticamente a mesma do XP, mas tem uma coisa que vem me incomodando. O computador fica o tempo todo processando, com a luz do HD sempre acessa e o disco acessando constantemente. Achei que seria algo a ver com indexação de arqivos, desfragmentação do HD ou escaneamento de virus, mas já desabilitei tudo isto e o processamento contínuo permance. Também aumentei a memória RAM para 4 GB ao invés dos 1 GB originais, mas isto em nada alterou a movimentação do HD. Quando entro no Gerenciador de Tarefas, noto que mesmo sem nenhum programa aberto a carga do processador fica o tempo todo oscilando entre 5 a 20% e o HD fica sendo acessado o tempo todo.

Gostaria de saber o que pode ser isso, ou se em relação a indexação do windows tenho que desativar mais algum parâmetro além de desmarcar todas as pastas que apareciam na configuração, ou se alguma coisa que não sei ou, ainda, se é realmente um problema do Windows 7. Antes dele, já tinha experimentado o Vista e acabei mudando justamente por causa disto, no Seven o problema é menor, mas também acontece. O que posso fazer?

É claro que o problema pode realmente ser na indexação de arquivos do Windows 7 e também pode ser que o antivírus esteja escaneando alguns arquivos. Descartando-se este fator, pode ser também que o micro tenha pouca memória RAM, e isto tornaria necessário fazer o swapping (troca) entre a memória RAM e a memória virtual que fica no HD.

No caso do leitor, como o micro tem 4 GB de RAM e mesmo sem nenhum programa aberto o processamento continua, podemos desconfiar de dois recursos: o prefetch e, realmente, também a indexação de arquivos. Vejamos como desabilitar estes dois itens:

Desabilitando o prefetch do Windows Vista e Seven

O recurso prefetch estreou no Windows Vista e continua presente no Windows 7. O prefetch, supostamente, serve para que o micro fosse mais rápido nas tarefas repetitivas, que acessam sempre os mesmos arquivos. Entretanto, na prática, o que se nota mesmo é que o micro acaba ficando mais lento pois o HD fica contantemente sendo acessado e, quando se quer carregar algum programa ou abrir algum arquivo, é preciso esperar terminar o processamento que está sendo feito no HD para só então o micro responder ao comando do operador.

O prefetch está ligado a uma função do Windows que é acionada através do arquivo svchost.exe que é o que fica rodando em segundo plano, consumindo poder de processamento e acessando o HD. Para desligar o prefetch é simples: clicar no ícone do Computador como o botão direito do mouse e ir em Gerenciar. Depois vá em Serviços e Aplicativos e novamente em Serviços. Procure pelo item superfetch, clique com o botão direito em Propriedades e coloque Desativado no tipo de inicialização. Reinicie o micro e pronto, o prefetch virá desativado e o HD não será mais acessado o tempo todo. Se achar que o micro ficou mais lento (o que é difícil, mas pode acontecer) e quiser voltar ao normal é só seguir o mesmo procedimento e, no lugar de Desativado, colocar Automático, somente isso.

Desativando a indexação de arquivos

O serviço de indexação do Windows é usado para agilizar a busca dentro dos arquivos que estão no HD, mas para tanto ele precisa ficar o tempo todo lendo os arquivos e montando o índice de busca. Isto acaba por deixar o HD lento e, como é um serviço pouco utilizado, acaba sendo recomendável que o desabilite, possibilitando que o sistema operacional trabalhe mais rápido.

Para isso entre em “Meu Computador” e clique com o botão direito do mouse sobre o ícone da unidade de disco. Vá na tela de “Propriedades” do HD. Existem casos em que o hd pode estar dividido em várias partições ou que exista mais de um HD no computador. Nestes casos torna-se recomendável desabilitar a indexação em cada uma das partições, bastando apenas repetir os procedimentos.

A janela Propriedades surgirá. Repare que a opção “Permitir que os arquivos desta unidade tenham o conteúdo indexado junto com as propriedades do arquivo” está ativada. Desative-a e dê OK.

Caso esteja desindexando a unidade C:/ poderá surgir uma janela de “Erro ao aplicar atributos”. Se isto ocorrer clique no botão “Ignorar todos” para prosseguir. Este erro acontece porque os arquivos de sistema do Windows que estão ativos não podem ser alterados. Feito isto, é só aguardar o término do processo, o que pode demorar um bom tempo dependendo do tamanho do HD e da quantidade de arquivos lá armazenados.

Com o serviço de indexação de arquivos desabilitada, o HD deverá parar de ser acessado a todo instante, mas é preciso esclarecer que existem softwares que fazem uso do serviço de indexação para algumas tarefas específicas. Caso passe a ter problemas com algum software após a desativação do serviço de indexação, basta habilitá-lo novamente para corrigir o problema.

Fonte: Revista PnP

PDF    Enviar artigo em PDF para